10 dezembro 2019

Amsterdam: seus barcos como tema.


O dia em Amsterdam pareceu voar. Talvez tenhamos acordado tarde...não havia pressa. Nossa intenção era apenas passear tranquilamente e desenhar.
O tema do dia foram os barcos. Sentamos a beira do canal principal da cidade e desenhamos alguns barcos ancorados à margem, calmamente. Mais tarde, visitamos o Maritime Museum, algo que eu querida fazer desde a primeira vez que estive na cidade. Infelizmente entramos no museu meio tarde, e logo tivemos que deixá-lo. Estranhei muito um museu, em plenas férias de verão, fechar às 5 da tarde! As duas horas que ficamos lá passaram rápido já que sentamos para desenhar por alguns momentos.
Mais tarde, fizemos mais um desenho, dessa vez sob a sombra do Nemo Science Museum.
No dia seguinte embarcaríamos para Bruxelas!


09 dezembro 2019

Primeiros dias pós-simpósio - Missão cumprida + alívio

[English bellow] O dia seguinte ao simpósio, um domingo, foi de descanso total. Não cheguei nem a desenhar. Acordei mais tarde e segui com os compromissos usuais: check-out de um hotel, check-in em outro, lavanderia, etc.
Já na segunda-feira, começaram as férias que compartilhei com uma pessoa muito querida. 
Começamos o dia andando tranquilamente pela região de Joordan. Almoçamos no Café Thijssen e seguimos para o Westerpark para enfim chegarmos ao nosso destino principal no dia: O Het Schip.

"O Navio", como é conhecido este edifício residencial projetado pelo arquiteto Michel de Klerk, foi concluído em 1920 e é um expoente da arquitetura expressionista da época, tornando-se mundialmente conhecido.
O prédio abrange toda uma quadra em forma de ponta de lança, formando um páteo central para onde muitos dos apartamentos são voltados. Caminhar em volta da curiosíssima construção é uma passeio delicioso. É de se apaixonar por tantos detalhes encantadores, e ao mesmo tempo, tanta harmonia e força de conjunto. A mistura de materiais é também notável, com predominância do tijolo vermelho. Uma faixa de tijolo escuro percorre todo o perímetro ao nível do primeiro andar. As portas dos apartamentos térreos são verdes, quase sempre em halls recuados em charmosas arcadas.


Sentamos para desenhar e ali permanecemos por duas horas! Ficamos cansados, claro. Impressionante como o tempo passa rápido quando estamos desenhando, ainda mais em um lugar tão tranquilo e com um tema tão interessante!
Aqui, três momentos do desenho:

O desenho feito no local, durante 2 horas.
A continuação do mesmo, alguns meses depois, com mais texturas e algumas sombras. Adicionei também o lettering.
O desenho concluído, colorido com aquarela.

Mais tarde fomos tomar um café e uma gostosa ginger beer (uma espécie de cerveja sem álcool da qual me tornei fã!) em uma prainha fluvial de fronte para 'Het IJ', o braço de mar que margeia a cidade.




***

The day after the symposium was taken, pretty much, for resting. It was a quiet, calm Sunday.
I woke up later and had to deal with some normal travel stuff: check out at one hotel, check in at another, laundry, etc. I didn't  draw.

On the nex day, Monday, my vacation started on, which I shared with a beloved person.
We started the day with a relaxing walk through the Joordan area. Then we had lunch at Café Thijssen and headed to Westerpark to finally reach our main destination on the day: The Het Schip.

"The Ship", how this residential building, designed by architect Michel de Klerk, is known, was completed in 1920. It is world renowned as an exponent of the expressionist architecture of the time.
The building spans an entire block, forming a central courtyard where many of the apartments face. Walking around this curious building is a delightful ride. It's not difficult to fall in love with the marvelous details, as well as the overall strength and design harmony. The mix of materials is also remarkable, with a predominance of red brick. A strip of dark brick runs the entire perimeter at the first floor level. The doors of the ground floor apartments are green, hidden in charming halls under  arcades.

We sat down to draw and stayed there for two hours! We got tired, of course. Amazing how fast time goes by when we are drawing, especially in such a quiet place and with such an interesting theme!

Above, you can see three moments of the drawing: the sketch as it was left on the spot (2 hours on site), the ink drawing after I added more texture, shadows and the lettering (already back in my studio) and the final piece, water-colored.

Later we had a nice coffee and a delicious ginger beer (a kind of non-alcoholic beer that I became a fan of!) at a riverfront beach on 'Het IJ', the sea arm that borders the city.

06 dezembro 2019

Início de viagem corrido...Mais sobre o simpósio de Amsterdam!

Durante os primeiros dias de minha viagem à Amsterdam, eu passei boa parte do tempo me preparando no local das minhas oficinas - the Oudemanhuipoort - uma antiga passagem que liga dois canais entre prédios da universidade de Amsterdam, próximo a Nieuwmarket.
Eu fui diversas vezes ao local, durante 3 dias, em diferentes horários. Conheci um senhor chamado Walter, um dos livreiros do local. Ele foi simpático comigo, sem ser impertinente. Eu, do meu lado, tentei ser educado, pois levaria um grupo de pessoas para ali desenhar dias mais tarde, e sempre há o receio de atrapalhar.
Fiz muitos estudos lá! Desenhos em diversos estágios para auxiliar minhas demonstrações, em diferentes pontos de vista. Depois de alguns dias eu estava preparado!

Estudo sequencial realizado em Oudemanhuispoort. Lápis grafite.


Na manhã do primeiro dia fiz um sketch rápido da torre da Zuiderkerk, onde o simpósio foi sediado. No outro dia à tarde, tive algumas horas livre e fui desenhar. Fiz um sketch preguiçoso, rapidamente, pois estava muito calor, muito calor! 37ºC não é para brasileiro nenhum botar defeito.






















Os demais dias do simpósio passaram voando. Além das oficinas, eu dei uma palestra (na verdade, uma 'light-talk') e fiz uma demonstração.

03 dezembro 2019

10º Simpósio Internacional de Urban Sketchers em Amsterdam

Gabi Campanario - Fundador do grupo Urban Sketchers / Amber Sausen (Atual Presidente) e Ruud Otten e Gail Anne Howard (Organizadores locais)
Em julho deste ano aconteceu o 10º simpósio internacional de Urban Sketchers, na cidade de Amsterdam.
Esta foi minha 7º participação nos simpósios:

  • Lisboa (2011): participante;
  • Santo Domingo (2012): instrutor;
  • Barcelona (2013): instrutor;
  • Paraty (2014): organizador;
  • Chicago (2017): participante / demonstração;
  • Porto (2018): instrutor / demonstração;
  • Amsterdam (2019): instrutor / demonstração;

Assim, já fui 4 vezes instrutor de workshop e realizei 3 demonstrações. Tenho um certo orgulho desses números, não tenho como negar.

Amsterdam foi certamente um dos simpósios mais legais, com um 'hub' maravilhoso: uma antiga igreja que hoje é usada para eventos diversos. A hospedagem destinada aos instrutores era próxima deste local, o que facilitou muito. O meu workshop aconteceu também próximo ao hub do evento.

A cidade é absolutamente encantadora. Não faltam opções para desenhar! Talvez o único inconveniente é o excesso de turistas e de calor! Tivemos nada menos que 37 graus durante o evento! Bem, dois 'problemas' que são inevitáveis quase que em qualquer lugar da Europa, à essa época do ano.

Seguem abaixo algumas fotos dos meus workshops e do evento em geral
Oudemanhuispoort, local dos meus workshops

Oudemanhuispoort, em desenho elaborado no local, que foi leiloado ao final do evento
Cenas do meu workshop

Marilia Varella, uma das participantes, amiga do UsK Brasil

Primeiro grupo

Segunda turma

Terceira turma

Na véspera do simpósio, tivemos a oportunidade de visitar a fábrica da Royal Talens,
grande fabricante de materiais artísticos.
 Passamos algumas horas incríveis testando diversos materiais e aproveitando alguns mimos!

O "Experience Center" onde testamos diversos produtos e o acesso à fábrica!
Vimos a produção de aquarelas!

Queridos e talentosos amigos sketchers - Eu, Norberto Dorantes, José Louro, Pedro Alves,
Fernanda Lamelas e Nelson Paciência 

O grande aquarelista e querido Eudes Correia.

A grande mesa de desenhos doados por artistas e instrutores para
contribuir para a organização

Encerramento do simpósio em Amsterdam

28 novembro 2019

Avenida Paulista Aérea

Recentemente realizei uma ilustração da Av. Paulista, vista do alto, do Trianon/Masp em direção à Vila Mariana. O formato é 75 x 55 cm e foram necessárias 92 horas de um trabalho paciente e meticuloso. Desse total, 49 horas foram dedicadas à montagem do desenho, 17 horas para passar a limpo e mais 26 horas para pintá-lo em aquarela.
A encomenda foi feita por uma psicóloga que tem consultório na avenida e que, como tantas pessoas, tem muito carinho por ela.
O processo foi compartilhado em meu Instagram (@bajzek), durante os 18 dias de trabalho.
Fiquei muito feliz com o resultado e, ao que me pareceu, minha cliente também!


Este não foi o único desenho panorâmico da Av. Paulista que já fiz. Uma outra versão, feita com canetas marcadores, entrou para a capa do meu livro "Técnicas de Ilustração à Mão Livre" e serviu como inspiração para a aquarela mostrada acima.

Por fim, em 2017 fiz um desenho da mesma avenida em formato 150 x 55 cm! Foi um grande desafio!
Neste caso, a vista é oposta, olhando do Trianon/Masp para o Pico do Jaraguá. Foi encomendada por uma empresa de mercado financeiro em Hong Kong, e para lá se destinou.


17 setembro 2019

Cursos em Outubro de 2019!

Cursos do Bajzek em outubro!
Desenho Artístico de Arquitetura e Desenho Urbano.
Poucas vagas!
Na inscrição do primeiro curso, o aluno ganhará meu livro - 'Técnicas de Ilustração à Mão Livre', autografado 😊
Consulte valores por email para conhecer as diferentes formas de pagamento, detalhes sobre a metodologia, materiais e horários.
Aguardo você para desenharmos juntos!


09 setembro 2019

Video do Lançamento do Livro "Técnicas de Ilustração à Mão Livre".

Este é o vídeo realizado no lançamento do meu livro "Técnicas de Ilustração à Mão Livre", pela editora Gustavo Gili. O lançamento aconteceu em 10 de abril, na Martins Fontes da Av. Paulista.
Saudades desse dia!


30 junho 2019

Dois desenhos 'rápidos' da Freguesia do Ó

Hoje, domingo, sai para desenhar aqui no bairro. Já tinha um tema em vista e fui objetivamente ao local, após deixar lixo reciclável no container que há no largo da matriz da Freguesia do Ó.
Fiz ambos desenhos em cerca de 1h15 cada, o que pra mim é rápido, em se tratando dessa abordagem mais pictórica. Foi uma agradável manhã de estudos.


























A construção retratada (é a mesma) foi edificada no final do século XIX, segundo consta em sua fachada (1899). Mantém seu aspecto original, embora com alguns buracos indecentes aqui e ali.
Está disponível para alugar. Tomara o futuro locatário não faça nenhuma agressão a sua fachada.

24 junho 2019

Mercado da Lapa

No último dia 15 de junho fui ao Mercado da Lapa, zona oeste de São Paulo, para desenhar.
Perambulei por alguns minutos entre as alamedas internas em busca de um tema e um bom lugar para sentar. Era cedo, cerca de 09:00 hs, mas o mercado já estava movimentado.
Encontrei uma lanchonete com algumas mesas que possibilitariam uma boa visão de um box de esquina e da cobertura da construção. Pedi um 'pingado' e um pão na chapa e comecei a desenhar.
Logo uma senhora de um dos boxes veio em minha direção e 'solicitou' informações: "O que o senhor está fazendo? De onde é? É de alguma empresa? Pediu autorização?". Eu respondi educadamente e ela, ao ver que eu não apresentava 'perigo' foi educada, pediu desculpas e me deixou. Disse que "existe gente que quer desativar o mercado" - por isso a desconfiança.
Se passaram quase 4 horas de trabalho...uma longa jornada, regada a mais alguns 'pingados'.
O pessoal da tabacaria ficou muito curioso e veio ver o desenho, me pedindo para mostrar o resultado final.


Bem, o resultado final apareceu mesmo somente hoje, dia 24 de junho, quando dei as últimas camadas de grafite. Trabalhei por muitos dias no desenho, sempre lentamente, sem pressa. Tomei cuidado para não 'passar do ponto' e perder toda a espontaneidade. O fato é que eu precisava de mais contraste e detalhes em alguns pontos, principalmente para gerar um ponto focal (no caso, o box de esquina, repleto de potes de acrílico, cestos, esteiras, doces, biscoitos, grãos, e muito mais).
Não sei quantas horas trabalhei no total...talvez umas 08 horas? Bem, não importa. Valeu a experiência.
Abaixo, o desenho tal como 'saiu' do local. Veja que não há muita diferença na essência do trabalho.


19 junho 2019

Museu da Casa Brasileira


Ontem fui ao lançamento do livro de Biselli Katchborian Arquitetos no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo. Como tinha um compromisso nas imediações, mais cedo, aproveitei para fazer um desenho, já que tenho tentado estudar bastante para minhas oficinas no 10º Simpósio de Urban Sketchers, que se aproxima.
Levei cerca de 2 horas para fazer o desenho local, e mais uns 45 minutos em casa, para refinar algumas áreas e baixar um pouco alguns tons.
Me chamou a atenção o tamanho da palmeira e os contrastes entre o branco da parede do museu e o edifício Dacon ao fundo. Eu gostaria de ter ido mais além nos tons, mas acho que está bom assim.


08 abril 2019

Técnicas de Ilustração à Mão Livre - Lançamento de meu novo livro!

Nesta quarta-feira, dia 10 de abril, haverá noite de autógrafos no lançamento do meu novo livro, "Técnicas de Ilustração à Mão Livre - do ambiente construído à paisagem urbana", pela editora Gustavo Gili. O lançamento ocorrerá das 18:30 às 20:00 na Livraria Martins Fontes, na Av. Paulista 509, próximo ao metrô Brigadeiro.
Este livro foi realizado ao longo de 12 meses, e é uma compilação de meu trabalho como ilustrador, instrutor de desenho e urban sketcher.
O livro se divide em: Fundamentos (linhas, planos, sólidos), Planta Baixa, Elevação, Perspectiva, Desenho de Vegetação e Desenho Urbano.
Além destes capítulos temos 4 galerias técnicas: grafite, canetas-marcadores, lápis de cor e aquarela.
Estou muito contente com o resultado do livro e confiante que este livro poderá trazer referências e conhecimento a todos àqueles que procuram aperfeiçoar seu desenho, nas áreas de design, arquitetura, artes plásticas e urban sketching.
Apareça na quarta-feira pra gente se conhecer pessoalmente ;)
Os 50 primeiros também ganharão um lindo postal com um desenho meu e os 20 primeiros a chegar ganharão sacola exclusiva!
Veja aqui um vídeo sobre a proposta do livro:
E este vídeo com detalhes do livro:

Nos vemos em breve!

08 fevereiro 2019

Hungary Trip XXII - The end of a journey



No dia seguinte, véspera do meu retorno para o Brasil, fiz mais alguns desenhos do castelo. Me concentrei na área das antigas muralhas, um lindo percurso, cheio de surpresas interessantes.
A luz e as cores do outono eram convidativas à contemplação e ao registro.
Mais tarde, caminhei e conversei bastante com minha amiga. Tomamos café, comemos pães e doces e fomos, aos poucos, nos despedindo.
Escrever sobre essa viagem, em 22 postagens ilustradas com cerca de 37 desenhos, foi um desafio e ao mesmo tempo um prazer. O desafio foi ir até o fim, mesmo que 3 meses depois de meu retorno. O prazer se deu em explorar tudo novamente, retocar alguns desenhos, produzir outros e compartilhar tudo.

Confesso que foi difícil deixar Budapeste e a Hungria de modo geral. Hoje, 3 meses depois, sinto saudades, claro. E, por falar em saudades, descobri que não há palavra semelhante em inglês, pelo menos não tal como a usamos em português, como um substantivo. "Saudades" carrega consigo tantos significados não é? Pode refletir tanto sentimentos dolorosos quanto alegrias. Ás vezes dizemos até que temos "saudades de um tempo que não vivemos", tal como foi a sensação de visitar  os locais por onde meus antepassados viveram.

Tenho saudades de fazer cada um dos desenhos que fiz durante essa viagem. Mas é reconfortante saber que esses desenhos estão aqui do meu lado, em meu caderno. Caderno este que, marcado pelo uso, expressa minhas experiências, desafios, alegrias e até tristezas.
Lembranças vão se diluindo com o tempo, é sabido. Saudades também...suavizam-se. Dão lugar a outras, as mais recentes. Das antigas percebemos, apenas, uma sutil e quase indefinida presença.

Tenho saudades da Hungria.

Se você acompanhou estas postagens, ou leu apenas essa, não importa. Deixe um comentário, compartilhe também uma lembrança, uma saudade...

---

On the next day, the day before I came back to Brazil, I did a few more drawings of the Castle. I focused on the area of the ancient walls, a beautiful path, full of interesting surprises.
The light and colors of late October were inviting to contemplation and capturing.
Later, me and my friend took a walk and chatted a lot. We drank coffee, eat bread and desserts and started saying goodbye.

Writing about this trip, within 22 blog posts, with almost 40 drawings, was a challenge and a pleasure, at the same time. It was challenging to go till the end, but pleasurable and meaningful to explore everything else again, to retouch some drawings, to make others and to share everything.
It was difficult leaving Hungary. It was also difficult to deal with the emotions on the first days after I came back home. Now, three months later, I miss Hungary. I miss everything about it.

I miss doing all the drawings I did. I miss my friend, I miss the places I visited, the food, the people I met.
It's good to have here, by my side, my sketchbook. It's a bit worn out, which is nice. It shows all my experiences, challenges, joy and even the troubles.

"Budapest I love you"